22.11.06

Meter num táxi,voltar para trás(para aquele hospital que me fez sair do trabalho 2as horas antes do previsto).ir ao gabinete 9,agarrar na médica loira,espanhola que mal sabe "hablar" o português,abana-la bem e  dar-lhe dois estalos.Ou mais.E depois gritar:

"-olha lá oh minha incompetente então tu mandas-me para casa uma doente que está com ideias suicidas há dois dias e que num rasgo de lucidez vem cá e quase te implora para ser novamente internada senão comete uma loucura???Tu dizes que ela quer mimo?atenção??mAS  que raio de médica és tu oh minha otária?."

Farta de erros médicos.De pessoas incompetentes.De gente estúpida..Mas que raio é isto?

 


 

Estou eu muito bem no meu trabalhito e oiço:

"-raquel pede-se a sua comparencia em frente de loja para atender um telefonema."

lá vou eu.

Do outro lado da linha o sotaque espanhol de um enfermeiro do hospital onde a minha mãe esteve internada.De voz ansiosa diz:

"-olhe voce tem de levar imediatamente a sua mãe ao hospital para depois a poderem internar.imediatamente ouviu?ela não está nada bem."

Eu:"agora já acreditam quando eu dizia que a alta da minha mãe era permatura?"

Ele:"sim...ela tem que ser internada."

Duas lágrimas derramadas.A chefe lá me deixa sair.Taxi.casa.A mãe não estava mesmo bem.Não,ir de taxi está fora de questão.Vêm os bombeiros.Meia hora a ser sacudida numa ambulância.Chegamos.Eram Dez da noite.Não me queriam deixar acompanhara a minha mãe.Depois lá deixaram.O médico:"você é já a seguir..mas primeiro tenho que atender esta senhora que está aqui desde as três da tarde".Levanto a sobrancelha..7horas??Enfim..tento nem pensar.A senhora entra.passado minutos ouvem-se gritos.O médico queria internar-la mas ela não.Mais gritos.a minha mãe e eu vamos para o gabinete ao lado.A (brilhante) médica recomenda uma escala feita cá em casa para nós certeficar-mos que a  minha mãe toma a medicação,diz que ela só quer mimo e colo,"tem consuta dia trinta??ah então espere ate lá...é que sabe as urgência não dá para grandes conversas"...

Que nervos.

Despedi-me dela(da dita cuja..da brilhante médica)

Ela:"então adeus e as melhoras."

Eu:"Obrigado..só uma pergunta!"

Ela:"diga"

Eu:"a senhora é mesmo psiquiatra?"

Ela sorri.Não percebe.

Eu:" ninguem diria..è que sabe  você não percebe nada disto!Quer um conselho?E que tal dedicar-se á pesca?"

E viro costas.Com a minha mãe pelo braço.

publicado por hanna às 23:46

Massive Attack - Teardrop

Imagens do filme:Match point,Woody Allen

 

publicado por hanna às 14:42

 

Era uma vez...

Uma menina que depois de alguns problemazitos estava finalmente a encontrar a paz na sua vida.Para ela a vida corria serena,tranquila e alegre tal como corre a água de um ribeiro.Mas de repente a sua mâe fica doente.Muito doente.Uma doença que não tem cura,que só se pode ir remendiando...Este tipo de doenças só é inventada pela bruxas más..mas daquelas mesmo más.São as doenças que não nos deixam pensar direito,as que nós roubam a lucidez...são os chamados problémas psiquiatricos.coisa seria e dolorosa.A mãe dessa menina foi para uma casa para se sentir melhor.uma casa chamada de hospital.não é que ela não estivesse bem em casa mas no hospital tinha médicos e outras pessoas de bata branca que ajudam as pessoas doentes.A menina ia todos os dias ver a mãe.E um dia reparou num menino que tambem lá estava na mesma casa que a sua mãe.Um menino que tambem estava doente.Um menino muito meigo,simpatico..

Os dias passaram.E com eles e com a ajuda dos remédios dados pelos médicos a mãe da menina foi voltando ao normal.E tambem o menino.Esse já falava com a menina,já lhe sorria,já lhe dava carinho e atenção.E a menina foi-se deixando ir,na docura daquele sorriso,no amor daqueles beijinhos na face de "boa tarde".e o tempo continuava a passar.O tempo tambem foi uma coisa inventada pelas bruxas más...ele corre rapido,foge-nos das mãos...E um dia a mãe da menina vem embora daquela casa para a sua verdadeira casa.Não é que estivesse melhor...simplesmente não haviam verbas nem camas para lá manter a mãe da menina,que acabou por vir para sua casa pior...Ao virar costas aquela casa grande pintada de côr de rosa,que fora durante 15 dias a casa da sua mãe a menina deixou lá o menino.E nesse dia nem o tinha visto para lhe dizer adeus.A menina ficou de rastos porque alem de a mãe não estar melhor,o menino tinha desaparecido da sua vida.E ela já gostava tanto dele( e ele dela???)..Passaram-se dois dias.A menina morreu para a vida.Ao terceiro dia alguma fadinha lembrou a mãe da menina que se tinha esquecido lá no hospital de uns medicamentos.A menina voltou á casa côr de rosa de onde partira a chorar 2 dias antes.E ai voltou a encontrar o seu menino.Melhor.Sim muito melhor.Mais lucido.Ainda mais sorridente.Igualmente doce.E a menina decide dar-lhe o seu numero de telemovel.

"ligas-me?"

"sim"

O menino vai ficar a viver no mesmo reino da menina,coisa que  a menina julgava não ser possivel.E a menina voltou a virar costas aquela casa côr de rosa,com mão esticada a dizer adeus ao menino,que por detras de um vidro e de uma porta trancada lhe dizia adeus(ou até já???) e sorria.

Viveram felizes para sempre???

(ainda não sei...)

p.s:quaisquer semelhanças com a realidade são inevitáveis.

Ass:hanna( a menina)

(foto:olhares)
 
publicado por hanna às 10:15

Continuando a derreter o gelo...
mais sobre mim
Novembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

13
15
17

21



arquivos
2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2006:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO